Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bóias e flutuadores: a falsa sensação de segurança dentro de água!

By

Foram várias as mães que este verão me perguntaram a minha opinião sobre bóias para bebés/crianças e quais as melhores ou mais adaptadas.

A minha opinião é que nenhum artigo flutuante é bom ou adaptado para crianças pequenas, e ao mesmo tempo todos o podem ser.

Mas antes de falar sobre isso, vamos falar sobre o perigo da água. Uma criança pequena pode afogar-se com meio palmo de água. Na piscina, na banheira ou até numa poça de água!

No ano passado na Suíça tive conhecimento de várias situações destas, infelizmente. Um bebé com cerca de 12m que estava na banheira numa cadeira própria e brincava com o irmão de 3 anos, o tempo de ir atender uma chamada rápida foi o suficiente para o pai encontrar o bebé já inanimado dentro de água.

Um outro bebé de cerca de 2 anos foi encontrado no jardim de casa afogado numa poça de água.

Uma outra criança pequena afogou-se porque na brincadeira resolveu colocar a cabeça dentro de um balde com água.

Como podem ver, não é preciso haver uma grande quantidade de água para que um acidente aconteça. Mas em todos estes casos há um elemento comum: poucos minutos, às vezes até segundos de inatenção por parte do cuidador.

Este artigo não pretende de todo acusar ou julgar, até porque eu própria sou mãe e todos temos telhados de vidro. O real objectivo deste artigo é sensibilizar a este tema tão importante que são as mortes ou sequelas graves dos afogamentos em crianças.

Voltando às bóias, o maior perigo destes artigos é o facto de transmitirem uma falsa sensação de segurança. Isso mesmo, falsa! Nenhuma bóia ou flutuador é seguro o suficiente para que a criança pequena possa estar sozinha na água. Por exemplo, com braçadeiras é muito fácil que estas saiam do lugar e a criança seja levada a levantar os braços ficando com os braços fora de água mas a cabeça dentro de água. Com um colete é muito fácil que de repente tombe para a frente e fique com a cabeça dentro de água. Com uma bóia, facilmente a criança se vira ficando “de cabeça para baixo”, idem com os “barquinhos” de bébé.

Tudo o que falo aqui já o presenciei com os meus filhos, não por descuido mas propositadamente pois sempre fiz questão de saber “com o que contar” com cada um dos artigos. Há até quem me chame de “paranóica”, e até posso ser, mas já vi muito e ouvi ainda mais para me permitir relaxar demasiado quando o assunto envolve água e crianças pequenas.

Uma bóia, colete ou braçadeiras não serve para que uma criança pequena fique mais segura dentro de água! Pelo contrário, pode servir para que o cuidador sinta que a criança está segura e seja dado espaço a um momento de inatenção que pode ser fatal! Estes artigos dão alguma segurança sim, mas apenas a crianças mais velhas enquanto aprendem a nadar.

Então para que servem? Para que a criança possa brincar e aproveitar as delícias de estar dentro de água sem ter de ser carregada, mas SEMPRE sob a vigilância CONSTANTE de um adulto!

Nunca tinha escrito sobre isto mas ontem vi um video que anda a circular no Facebook precisamente com uma criança de 3 anos que passa mais de 2 minutos submersa de cabeça para baixo com uma bóia que virou durante aquilo que parece ser uma aula com duas instrutoras que só no final deste tempo se aperceberam do sucedido.

Serve então este artigo para chamar a atenção para a importância de se ter sempre as crianças debaixo de olho quando o assunto é água 😉

Bons mergulhos, sempre em segurança, se ainda for o caso por aí 😉

You may also like

scriptsell.neteDataStyle - Best Wordpress Services
error: Content is protected !!
Don`t copy text!