Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A bronquiolite !

By

A bronquiolite é uma inflamação dos bronquíolos, que se caracterisa essencialmente pela sua obstrução devido ao edema (inchaço) causado pela inflamação e também ao excesso de produção de muco (secreções).

É uma inflamação viral, sendo muitas vezes causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR). Este vírus é particularmente agressivo para os bebés com menos de 12 meses, originado muitas vezes bronquiolites severas em bebés com menos de 6 meses.

No caso da bronquiolite a VSR, o quadro típico são dez dias de crise aguda, em que o pico da crise acontece por volta do quinto dia, havendo depois alguns dias em que o quadro clínico se mantém para depois comecar então a haver uma melhoria nos sintomas. O período de internamento nestes casos ronda assim os sete a dez dias.

Visto ser uma infecção viral, o tratamento é sintomático, ou seja, não é um tratamento que vai destruir o vírus, mas sim tratar os sintomas por ele provocados, como a falta de oxigénio e as dificuldades em se alimentar/hidratar.

Aerosois de adrenalina em bebés pequenos podem ajudar, no entanto se não houver melhorias notórias as recomendações são para não se repetir.

Há países que recorrem aos broncodilaradores (ventilan) no tratamento das bronquiolites, no entanto estes agem a nível dos bronquios, e sendo a bronquiolite uma inflamação nos bronquíolos, o efeito deste tipo de medicação é meramente transitório não parecendo haver real benefício na sua utilização. Assim, as guidelines da Academia Americana de Pediatras e a Sociedade Canadiana de Pediatria sugerem a não utilização destes medicamentos no tratamento da bronquiolite. As recomendações em França e na Suíça vão igualmente neste sentido.

Assim, o tratamento centra-se essencialmente na hidratação, pois ao respirar em esforço o bebé vai perder mais água e assegurar uma boa hidratação é essencial.

Caso o bebé apresente uma dificuldade respiratória severa, com diminuição do estado geral e principalmente recusa em hidratar-se, um internamento será a realidade mais provável. Neste caso são colocadas em prática medidas que permitam ao bebé poder descansar, economizando todas as suas energias para a respiração, e assegurando uma boa hidratação através de uma sonda nasogastrica (uma sonda que liga o nariz directamente ao estômago do bebé) ou ainda através de uma perfusão endovenosa.

Por vezes o bebé necessita também de oxigénio, e nesse caso a solução passa também pelo internamento de forma a assegurar níveis de oxigénio dentro dos limites desejáveis.

Uma dúvida que surge frequentemente é em relação aos bebés amamentados, afinal podem ou não mamar? Depende. Se o bebé pede e tem um estado geral que o permite pode mamar sim. Mas se o bebé está demasiado cansado, não acorda expontaneamente, então não devemos acordar o bebé para que mame, ele precisa guardar toda a energia possível para se concentrar na respiração.

No entanto, felizmente na maioria dos casos a bronquiolite não exige um internamento. Então o que podemos fazer em casa para ajudar o bebé?

– Estimular bastante a hidratação: tanto em bebés amamentados como em bebés não amamentados, o ideal é fraccionar as refeições, ou seja, oferecer mais vezes em menos quantidade, pois ao encher demasiado o estômago a respiração torna-se ainda mais difícil. Assim, propor frequentemente mama, biberão ou água (consoante a idade do bebé e a realidade da família) é primordial nestas situações.

– Fazer lavagens nasais frequentes. O bebé pequeno ao ter o nariz obstruído tem ainda mais dificuldade em respirar, além disso as secreções acumuladas podem originar infecções respiratórias secundárias como por exemplo pneumonias.

– Elevar a cabeceira da cama a cerca de 30 graus. Atenção para não elevar demasiado, pois podemos deixar o bebé numa posição em que o pescoço fica demasiado flectido e isso dificulta ainda mais a respiração, podendo causar uma obstrução mecânica!

– Vigiar bem o bebé, especialmente nos primeiros 5 dias que é quando os sintomas têm tendência a agravar.

Quando deve consultar o médico?

Sempre que o bebé apresente diminuição do estado geral, sonolência ou cansaço excessivo, dificuldades de hidratação, ou sinais de dificuldade respiratória deve ser visto.

E a fisioterapia respiratória?
Este é um tema controverso. Há países como Portugal e França em que ainda se considera uma intervenção de primeira linha no tratamento da bronquiolite, mas muitos países aboliram já esta prática, devido ao pouco benefício que parece trazer. De acordo com alguns estudos feitos, a fisioterapia respiratória na gestão da bronquiolite não parece diminuir o tempo de internamento nem ter um impacto significativo na evolução da doença. Na verdade, o cansaço que provoca no bebé, a energia que obriga o bebé a gastar não parecem compensar os benefícios que poderá ter.

Assim, podemos concluir que não há exactamente um tratamento para a bronquiolite mas apenas medidas que permitem ajudar o bebé a manter as suas funções vitais durante o período de crise.

Espero que este artigo possa ajudar a elucidar alguns pontos sobre este tema, e que o inverno não seja muito exigente aí desse lado 😉

Deixo aqui apenas dois dos inúmeros artigos que há sobre o tema, um sobre a terapia medicamentosa e outro sobre a fisioterapia respiratória

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5154648/

https://www.cochrane.org/CD004873/ARI_chest-physiotherapy-acute-bronchiolitis-children-younger-two-years-age

You may also like

scriptsell.neteDataStyle - Best Wordpress Services
error: Content is protected !!
Don`t copy text!